Uncategorized

Pré-candidatos a prefeito avaliam combate ao coronavírus em Goiânia

Quatorze nomes se apresentaram para a disputa na capital. De forma geral, eles criticam o posicionamento do Paço em relação ao enfrentamento da crise
Goiânia tem 14 pré-candidatos ao cargo de prefeito da capital nas eleições de 2020. Enquanto o prefeito Iris Rezende (MDB) ainda não se manifestou publicamente se participará ou não do pleito, nomes de diferentes partidos se apresentaram para integrar a disputa pelo Paço. Inevitavelmente, os aspirantes à vaga já começam a debater os temas mais cruciais da administração pública, passando, é claro, sobre a forma como a gestão atual desempenha o combate à pandemia do novo coronavírus.

O contexto atual é de retomada das atividades produtivas e, nesta seara, a capital tem basicamente aderido às sugestões do Governo Estadual na gestão da crise. O fato mais recente foi a adoção da quarentena intermitente, que consistiu em 14 dias de fechamento seguidos por outros 14 de abertura. Nesta segunda-feira (13), no entanto, Iris assinou decreto que promove a retomada e suspende a quarentena. Desse modo comércios só voltarão a fechar caso os índices de saúde indiquem a necessidade. O Ministério Público de Goiás cobra os critérios seguidos para essa tomada de decisão.

De forma geral, os pré-candidatos criticaram a administração no que tange à postura de Iris em seguir orientações estaduais sem, segundo eles, intensificar diálogos do poder público com o setor produtivo. Chamaram também atenção para os moldes da quarentena 14×14 e para questões relacionadas ao transporte coletivo, que gera aglomerações diárias. Confira:

[…]

Hemanuelle Jacob entra pela primeira vez em uma disputa eleitoral. Ela é pré-candidata pelo PSOL. Para ela, a última medida de isolamento social precisou ser adotada porque faltaram medidas mais eficazes no início da pandemia. Hemanuelle avalia que políticas de conscientização poderiam ter surtido efeito logo no início da crise.

“Goiânia está neste cenário devido a negligências anteriores. Por exemplo, se a quarentena tivesse sido levada a sério, os governos tivessem estruturado melhor as políticas de conscientização, a gente não teria chegado neste cenário que estamos vivendo hoje. O escalonamento vai ajudar, mas não vai resolver”, disse.

A pré-candidata do PSOL acredita que a partir da reabertura das atividades não haverá “força” suficiente para fechá-las novamente no ciclo 14×14 que estava previsto. Ela se preocupa com a reabertura em um momento que há uma alta ocupação de leitos hospitalares na cidade.

Fonte: https://www.emaisgoias.com.br/pre-candidatos-a-prefeito-avaliam-combate-ao-coronavirus-em-goiania/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *